EN
 
       
   
 
       
         
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 
histÓria de portugal
Isabel de Aragão
Conde de moucheron
 

Uma das biografias mais interessantes de Isabel de Aragão, a rainha santificada que, no fluir dos séculos, maior eco encontrou no coração dos portugueses.

 

O Conde de Moucheron escreveu uma das biografias mais interessantes de Isabel de Aragão, a rainha santificada que, no fluir dos séculos, maior eco encontrou no coração dos portugueses. Esta primeira edição portuguesa é enriquecida com o rigor das notas e textos de Pedro Gomes Barbosa, prestigiado historiador do período medieval e professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Complementa a biografia um artigo do investigador Paulo Alexandre Loução sobre «Isabel de Aragão e o Culto do Espírito Santo» e uma interessante e aturada cronologia comparada entre Portugal-Aragão-Europa, gizada pelo historiador António Vicente.

"Quando era o caso de pobres gravemente doentes ou convalescentes, a Rainha Santa não se contentava em servi-los. Via-se esta soberana de um reino importante, com um branco avental à cintura, preparar na cozinha as refeições ou as poções, e levá-las aos pacientes com as suas mãos delicadas. Quanto não deveria contribuir para adoçar o estado dos doentes essa tão angélica aparição? E que manto real teria igualado esse libré da caridade?"
Conde de Moucheron

"Por tudo isto, é clara a importância desta obra (…). E, nesta altura em que a nossa História está tão maltratada, esquecida e quase envergonhada, é reconfortante sabermos que, nos finais de oitocentos, houve quem, no estrangeiro, por ela se interessasse, quanto mais não fosse através da exaltação de uma figura que, sendo aragonesa, nos pertence mais a nós do que a Espanha."
Pedro Gomes Barbosa, in "Prefácio"

"Mas onde confluíram todas estas manifestações da Europa telúrico-espiritual foi na criação do Culto Português do Espírito Santo sob a égide de Isabel de Aragão e o apoio do rei-trovador, já no final do reinado de D. Dinis. Depois da extinção europeia dos Templários, que continuaram em Portugal integrados na novel Ordem de Cristo, haveria que fomentar um culto popular inserindo-lhe elementos esotéricos, ou seja, exoterizando algo das lojas secretas da época. Foi isso que parece ter acontecido. Criou-se, se não uma religião nacional, uma mística nacional que sintetizava uma faceta da seiva espiritual da Europa."
Paulo Alexandre Loução,
in "Isabel de Aragão e o Culto do Espírito Santo"

 
Título: Isabel de Aragão
Autor:Conde de Moucheron
ISBN: 978-989-8092-98-8
Formato: 16X23 Cm | Nº de Páginas: 282 | Capa mole
INDISPONÍVEL
 
         
     
         
topo